15/10/2019 às 11:12 - Atualizado em 15/10/2019 às 11:16

ARTIGO: Uma Frente Parlamentar para gerar empregos

Já era a hora de os nossos deputados enxergarem a necessidade de apoiar os empresários da Bahia, de forma conjunta e uníssona, com a criação de uma frente parlamentar. Isto se tornou realidade no último dia 30 de setembro, por iniciativa do deputado Eduardo Salles, com o apoio incondicional do presidente da Assembleia Legislativa da Bahia, deputado Nelson Leal, que entra para a história da Casa Legislativa com essa realização. Tive a oportunidade de presenciar a plenária da nossa Assembleia lotada para prestigiar o nascimento desse projeto.

No meu entendimento, a recém-criada Frente Parlamentar do Setor Produtivo Baiano poderia muito bem se chamar Frente para a Geração de Empregos no Estado. Afinal, ao concentrar toda a robustez do Comércio, Serviços, Turismo, Agricultura e Indústria, estamos falando do bloco gerador do PIB do nosso Estado e da maioria dos empregos. Pela primeira vez, todos os segmentos produtivos foram reunidos numa única frente parlamentar e acreditamos que este é um pioneirismo da Bahia.

A proposta da Frente, que aglutina representantes do setor público e privado, é o estudo das proposições legislativas que tramitam na esfera estadual para propor aperfeiçoamentos e modificações que favoreçam o ambiente de negócios, modernizando as leis. Se necessário, o grupo também pode criar projetos de lei estaduais, além de fazer interlocução com as demais esferas do poder, influenciando a bancada federal e as câmaras municipais. Influenciar a legislação significa munir de informação os responsáveis pelos projetos de lei, advogando em defesa do desenvolvimento empresarial e da economia.

Logo, a sociedade precisa assimilar que, ao beneficiar as empresas, o Legislativo está impulsionando novos investimentos, melhorando a economia do Estado, num momento crucial de início de recuperação, trazendo a reboque a abertura de postos de trabalho. Acredito que o grande objetivo em comum que une empresários e parlamento num projeto como este é o desejo de gerar mais empregos para a Bahia. Com isso, todos ganham, principalmente o trabalhador, com mais oportunidades e melhor renda.

Não estamos falando de um núcleo pequeno, mas de 62 membros, divididos entre conselhos jurídico, legislativo e consultivo, com titulares e suplentes. Fazem parte parlamentares engajados com o desenvolvimento do setor produtivo, ao lado de representantes de entidades empresariais baianas, como a Fecomércio-BA, que tem por missão defender o comércio de bens, serviços e turismo, unida a seus 35 sindicatos empresariais filiados. Destaco como a “cereja do bolo” a presença de vários técnicos ligados às instituições empresariais, entre advogados e outros especialistas, encarregados de colocar a mão na massa, dando todo o gás necessário para acelerar processos, fazendo com que esta Frente não fique só no papel. Nós, da Fecomércio-BA, estamos de portas abertas para fazer esse projeto dar certo.

Artigo publicado pelo Jornal Correio no dia 15 de outubro de 2019.