31/03/2021 às 16:02

Fecomércio-BA, através da CEME, promove evento virtual com lideranças femininas para discutir atuação da mulher na sociedade

“Representatividade Importa: mulheres que escrevem o futuro”, foi o tema do talk-show, promovido pela Fecomércio-BA, através da Câmara Estadual da Mulher Empresária, em parceria com o Sebrae Bahia, realizado na noite de terça-feira (30). O encontro virtual transmitido ao vivo pelo YouTube, reuniu líderes para discutir a atuação da mulher no mercado de trabalho, na sociedade e na política baiana.

O bate-papo foi mediado pela coordenadora estadual da Câmara da Mulher Empresária da Fecomércio-BA, Rosemma Maluf, e recebeu a vice-presidente da Federação da Agricultura e Pecuária da Bahia (Faeb), Carminha Missio, a diretora da Federação das Indústrias do Estado da Bahia (Fieb), Renata Muller, a presidente da Confederação Nacional de Jovens Empresários (Conaje), Maria Brasil e a executiva da Amcham Brasil, Lilian Marins.

Para falar sobre o cenário político, o evento também contou com a participação da deputada estadual e coordenadora da Frente Parlamentar da Mulher na Alba, Olívia Santana e a vereadora Roberta Caires, da Frente Parlamentar das Mulheres Empreendedoras na Câmara Municipal de Salvador.

Rosemma Maluf relatou que, além do Dia da Mulher, comemorado no dia 8 de março, a data do evento foi escolhida para fechar o mês que representa e homenageia a luta feminina. A empresária afirmou que a mulher ainda sofreu uma discriminação longa, que resultou em uma desigualdade vista até hoje na sociedade nas esferas política e econômica, por exemplo.

“Eu considero março um mês que devemos celebrar muito pois, sem dúvida, conquistamos o direito de estudar, de votar, entre outras conquistas ao longo do tempo, mas ainda muito poucas, diante do que está na nossa frente”, declarou a coordenadora estadual da Câmara da Mulher Empresária da Fecomércio-BA.

Segundo uma das líderes no setor produtivo, Carminha Missio, o que fazem as mulheres se desafiarem no âmbito da agricultura atualmente é o conhecimento, a qualificação e unido a isto, a união de todas para se fortalecerem. “Não existe uma separação do comércio, da indústria da política. Nós precisamos caminhar nessas estradas e ocupar esses espaços sem medo. Nós somos e seremos criticadas e eu digo: que bom, pois é isso que nos instiga e nos move”, afirmou a vice-presidente da Faeb.

No cenário industrial, a diretora da Fieb, Renata Muller reforçou a necessidade da presença feminina, especialmente para a humanização do negócio. “Ser humano é uma característica da mulher, somos nós que geramos a vida”.

Questões importantes e mais severas também foram pauta no encontro virtual. A deputada Olívia Santana falou sobre políticas públicas para mulheres que sofrem algum tipo de agressão por parte dos seus companheiros, algumas levadas até o feminicídio.

Questionada sobre como essas políticas podem contribuir para a mudança na vida das vítimas, que em muitos casos, dependem financeiramente dos seus parceiros, a deputada afirmou que para a Assembleia Legislativa da Bahia aprovar o projeto de enfrentamento à violência contra a mulher é fundamental, “mas essa não pode ser uma pauta que só nós defendemos na Assembleia. É preciso que outras mulheres de fora da assembleia respaldem os deputados e é por isso que é fundamental que tenhamos mulheres com consciência política”, destacou Olívia.

Já a vereadora Roberta Caires falou sobre política de cotas e o cenário político. Segundo ela, as cotas de 30% ajudam, mas quebrar barreiras do ambiente de predominância masculina ainda é difícil. “É por isso que a gente precisa que mulheres votem em mulheres para que possamos levar esse equilíbrio para a política nos campos de representatividade”.

Em seguida, Maria Brasil declarou que para reduzir as barreiras que limitam as habilidades das mulheres de progredir e liderar negócios, “é preciso que se inspirem ao olhar para outras que já conseguiram conquistar espaços de poder e consigam se sentir e entender que o caminho também está aberto para ela”.

Lilian Marins explicou que a o maior desafio para a mulher na hora de empreender é como ela vai gerenciar os seus múltiplos papeis. “A maioria das mulheres assume essa cadeira de empreendedora, mas ela também tem seu lado de mãe, de esposa, de dona de casa e eu acho que esse foi o ponto que consegui entender para criar um ambiente de negócios melhor para elas. Sem dúvida nenhuma é o que vai fortalecer o posicionamento delas, no lugar que lhe é devido no mundo dos negócios”.

O evento completo está disponível no canal da Fecomércio-BA, através do link: https://www.youtube.com/watch?v=Rz0GDvYhR1g&t=634s