04/10/2018 às 15:01

Projeto Palco Giratório, do Sesc, passa por cidades baianas em outubro

O Palco Giratório, projeto nacional do Sesc de difusão e intercâmbio das artes cênicas, na sua 3ª etapa 2018, traz a Bahia a Companhia Marginal (RJ) para circular entre cinco municípios baianos. Salvador (Teatro Sesc Senac Pelourinho), Barreiras, Feira de Santana, Jequié e Santo Antônio de Jesus vão receber o espetáculo ‘‘Eles Não Usam Tênis Naique” - peça ambientada numa favela do Rio de Janeiro. Saiba mais no site: 
www. sescbahia.com.br. 

 

“Eles Não Usam Tênis Naique” - Espetáculo ambientado numa favela do Rio de Janeiro, narra o reencontro de um pai e uma filha: ele foi traficante nos anos 80 e ela é uma jovem traficante nos dias atuais. Classificação 14 anos. | Barreiras. Dia 4/10, às 20h. Ingresso: R$10, R$8 (Cartão Sesc) e R$5 (meia). | Salvador (Teatro Sesc Senac Pelourinho). Dia 16/10, às 19h30. Ingresso: R$20, R$16 (Cartão Sesc) e R$10 (meia). | Feira de Santana (Centro de Cultura Amélio Amorim). Dia 14/10, às 18h. Ingresso: R$10, R$8 (Cartão Sesc) e R$5 (meia). | Jequié.  Dia 8/10, às 16h. Entrada Franca. | Santo Antônio de Jesus. Dia 12/10, às 19h. Ingresso: 1kg de alimento estocável.

“Trocas marginais” – A oficina será um espaço de transmissão e exercício de uma rotina de treinamento físico e preparação de ator, e também de um conjunto de dispositivos de pesquisa e criação, desenvolvidos e acionados ao longo dos mais de dez anos de trabalho continuado da Cia. Marginal.  Público Alvo: artistas cênicos profissionais e em formação. | Jequié. Dia 6/10, das 9h às 12h e das 13h às 17h. Inscrição gratuita. | Santo Antônio de Jesus. Dias 10 e 11/10, das 17h às 21h. Inscrição: 1kg de alimento estocável.

Pensamento Giratório “Na margem da cidade” – painel que propõe uma reflexão sobre o teatro produzido hoje nas periferias, a partir da trajetória e do projeto artístico da Cia Marginal. Que narrativas de cidade estão sendo tecidas por um teatro feito nas margens? De que maneira esse teatro vem revelando os desafios das grandes metrópoles brasileiras? Estas são algumas das perguntas que nortearão o debate sobre as relações entre teatro, política, descentralização, territorialização e criação coletiva. | Feira de Santana (Centro de Cultura Amélio Amorim). Dia 13/10, às 16h. Gratuito.

Cia Marginal (RJ)

Criada em 2005 na Maré, o maior complexo de favelas do Rio de Janeiro, a Cia Marginal reúne artistas de dentro e fora da comunidade, engajados na construção de uma cena que se reflete sobre a cidade a partir da periferia. Ao longo de sua trajetória, manteve um núcleo estável de atores, consolidou uma equipe de colaboradores e produziu quatro espetáculos: Qual é a nossa cara? (2007), Ô, Lili (2011), In_Tânsito (2013) e Eles não usam tênis naique (2015). Ocupa hoje espaço fundamental na cena contemporânea do Rio de Janeiro.

Sobre o Palco Giratório

Com 625 apresentações artísticas e mais de 1.600 horas de oficinas previstas para 2018, o Palco Giratório, iniciativa do Sesc de difusão e intercâmbio de artes cênicas, se consolida como a maior ação do gênero no Brasil. Ao longo de 2018, as atividades terão lugar em 132 cidades de 26 estados e Distrito Federal, trazendo uma programação caracterizada pela diversidade de expressões, qualidade de espetáculos e ações formativas com grupos das cinco regiões brasileiras. Como sempre, a proposta é destacar questões presentes na contemporaneidade por meio da arte. Nesta 21ª edição, o Circuito Especial do Palco Giratório destaca o circo, e tem como homenageado o Palhaço Biribinha. Patrimônio Vivo da Cultura Alagoana, Teófanes Antônio Leite da Silveira tem um histórico de engajamento e resistência para com as artes circenses no Brasil. Para o Circuito Especial, uma lona de circo ficará montada pelo período de até 20 dias nos estados por onde circular, funcionando como ponto de encontro para apresentações de grupos circenses locais, ações formativas, palestras e números - além das apresentações da própria Cia. Teatral Turma do Biribinha. O lançamento nacional do Palco Giratório será em Belo Horizonte (MG), no dia 22 de março, com uma mostra de cinco dias que terá a apresentação do Cia. Teatral Turma do Biribinha (AL) e os espetáculos “Fauna” (MG), “Looping: Bahia Overdub” (BA) e “Farinha com açúcar ou sobre a sustança de meninos e homens (SP). Além do circuito nacional, o Palco Giratório se desdobra em 33 Aldeias, mostras regionais de arte e cultura que recebem a programação. O processo de seleção dos grupos participantes do Palco Giratório é feito por uma equipe de curadoria composta por 34 profissionais do Sesc, de todo o Brasil. Ao longo do ano, os curadores indicam até cinco espetáculos de seus estados, que são apreciados pelo grupo durante o Encontro Nacional de Artes Cênicas. Partindo da diversidade, aspecto-chave do Palco, são analisados critérios como a heterogeneidade de expressões artísticas, regiões, estados e faixas etárias dos espetáculos. Para 2018, foram selecionados 20 grupos provenientes de 12 estados e do Distrito Federal.